Metodologia

As estimativas do SEEG Monitor Elétrico abrangem a geração de eletricidade e as emissões de gases de efeito estufa (GEE) decorrentes dessa atividade para todo o Sistema Interligado Nacional (SIN).

Visto que o escopo do Monitor se restringe ao SIN, não são contabilizadas a eletricidade gerada e as possíveis emissões de GEE nos seguintes casos:

  • Sistemas isolados - Ex.: municípios não conectados ao SIN;
  • Unidades de autoprodução não conectadas ao SIN - Ex.: indústrias com usinas de geração próprias; e
  • Sistemas de geração distribuída, que inclui os de micro e minigeração - Ex.: painéis fotovoltaicos instalados pelos próprios consumidores.

Atualmente, pelo menos 90% da geração de eletricidade no Brasil é contabilizada pelo Monitor, ou seja, gerada de maneira conectada ao SIN.

O Monitor foi desenhado de modo a gerar dados de geração de eletricidade e emissão de GEE em uma base temporal diária e apresentados por subsistema do SIN, por tipo de geração de eletricidade, por fonte primária de energia e por fonte energética utilizada. A categorização desses níveis é apresentada no quadro a seguir:

Tipo de geração Fonte primária de energia Fonte energética
Hidráulica Hidráulica Hidráulica
Eólica Eólica Eólica
Térmica a combustível renovável Biomassa Bagaço de cana
Lixívia
Biomassa
Térmica a combustível fóssil Petróleo Óleo combustível
Óleo diesel
Gás de refinaria
Gás natural Gás natural seco
Carvão mineral Carvões vapor
Gás industrial
Gás de coqueria
Térmica a combustível não identificado Térmica a combustível não identificado Térmica a combustível não identificado

Geração de Eletricidade

As fontes de informação utilizadas para a estimativa da geração de eletricidade são:

  • Boletim Diário da Operação do ONS: relatórios “Geração Hidráulica, Térmica, Eólica e Reserva Girante na Demanda Máxima no SIN” e “Despacho Térmico”;
  • Planilhas cedidas pelo Ministério de Minas e Energia (MME), que apresentam, em bases anuais, a geração de eletricidade e o consumo de combustível por fonte energética para cada usina térmica despachada pelo ONS.

Uma vez que o Boletim Diário da Operação não apresenta a geração térmica por combustível utilizado, o conjunto de planilhas do MME foi necessário para se determinar a participação de cada combustível na geração de eletricidade de cada usina térmica reportadas no relatório “Despacho Térmico” para o período entre 2010 e 2015.

Esses valores de participação foram obtidos individualmente para cada usina térmica, pois uma mesma usina pode utilizar duas fontes energéticas diferentes (óleo diesel e gás natural seco, por exemplo).

Como parte da geração em usinas termelétricas que compõem o SIN não é reportada no “Despacho Térmico”, o montante de eletricidade associado a essas usinas é reportado no Monitor Elétrico segundo o tipo de geração “Térmica a combustível não identificado”. Essas são usinas dos tipos II-A, II-B e III (Modalidade de operação de usinas) que possuem dinâmica de despacho diferenciada e, apesar de não representarem uma contribuição expressiva na geração do SIN, passarão a ter a fonte energética identificada nas versões futuras do Monitor Elétrico.

Emissões de Gases de Efeito Estufa

São estimadas as emissões de CO2, CH4, N2O, CO, NOx e COVNM decorrentes da geração de eletricidade no SIN também a partir de 2009 e atualizadas a cada nova publicação do Boletim Diário da Operação do ONS.

A metodologia é baseada no relatório “Emissões de Dióxido de Carbono por Queima de Combustíveis: Abordagem Bottom-Up - Relatório de Referência – Anexo metodológico” (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, 2014), publicado na página do MCTI e que estima as emissões associadas à geração de eletricidade no país. Este mesmo relatório é a principal base metodológica para as estimativas do Setor de Energia do SEEG.

Tanto no SEEG quanto nas estimativas publicadas pelo MCTI, o dado de atividade necessário para o cálculo de emissões é o consumo de combustível na geração de eletricidade. Uma vez que esse dado não está disponível de maneira pública em intervalos de tempo menores do que um ano, adotou-se uma simplificação que, a partir da geração de eletricidade por usina, estima as emissões com fatores de emissão em termos de massa de gás emitida por unidade de energia elétrica produzida (tCO2/MWh, por exemplo).

As planilhas fornecidas pelo MME contêm dados anuais de consumo de combustível e de geração de eletricidade por combustível consumido para cada usina térmica despachada pelo ONS, para o período entre 2010 e 2015. Para esses anos, foi possível estimar fatores de emissão específicos para cada usina e para cada fonte energética que ela pode utilizar na geração de eletricidade. Para o ano de 2009, utilizaram-se os fatores de emissão médios levantados entre 2010 e 2015 e, para o ano de 2016, o fator levantado para 2015 foi aplicado.

Emissões associadas à geração de eletricidade em usinas térmicas cuja fonte energética não pode ser identificada (usinas dos tipos II-A, II-B e III, como acima descrito) não foram estimadas, o que será aprimorado em futuras versões do SEEG Monitor Elétrico.

A figura a seguir representa a metodologia utilizada.

Methodology 012254602f5bb2f9a1b2c97f7ec34e350c7e172d71a15fc97c11acfe01f30534

A metodologia detalhada pode ser acessada na Nota Metodológica disponível aqui.

Micro e Minigeração Distribuída

Além de monitorar a geração de eletricidade e as emissões de gases de efeito estufa no SIN, o SEEG Monitor Elétrico também acompanha o número de sistemas de micro e minigeração distribuída registrados no Brasil.

Os dados são atualizados mensalmente a partir do registro de micro e minigeradores distribuídos publicado pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

A micro e a minigeração distribuída é regulada pela Resolução Normativa Nº 482 da ANELL, de 17 de abril de 2012 e inclui sistemas com base em energia hidráulica, solar, eólica, biomassa ou cogeração qualificada.

Realização

Apoio

Coordenação Técnica